Email sedfcontato@gmail.com
Telefone (61) 3273 0307

SindEnfermeiro realiza seminário para debater assédio na saúde

Atualizado em 16, agosto 2019 - 2:20:36

O SindEnfermeiro-DF realizou no último sábado (16), o seminário “Violência: enfrentamento e superação”. A intenção do evento foi trazer uma reflexão sobre os aspectos que estão relacionados ao assédio e a violência, e contou com a presença do deputado distrital Leandro Grass, do secretário-geral do Conselho Regional de Enfermagem do DF (COREN-DF) Tiago Pessoa, da presidente do SindEnfermeiro, Dayse Amarílio e dos diretores Adriano Limírio, Jorge Henrique, Nayara Silva, Lisa Faria e Ana Catarine Carneiro, que idealizou e coordenou o evento.

Iniciativa pensada para as profissionais

Para a coordenadora do seminário e diretora do SindEnfermeiro, Ana Catarine Carneiro, a categoria da enfermagem é duplamente envolvida no tema da violência. Primeiro como vítimas e segundo, como agentes de transformação. “São comuns casos de profissionais que sofrem violências tanto no trabalho quanto em casa. E também compomos as equipes que atendem as vítimas. Ter conhecimento sobre o tema é essencial para que o atendimento não seja mais uma violência. Por isso, consideramos que a informação é o melhor caminho”, pontua Ana Catarine.

Segundo presidente do SindEnfermeiro, Dayse Amarílio, o assédio é uma realidade muito comum no dia a dia das profissionais da saúde, seja no atendimento das vítimas ou contra as próprias trabalhadoras. Para Dayse, o papel do sindicato enquanto entidade que representa a categoria da enfermagem é denunciar essas situações e debater com os profissionais.

“É importante que as mulheres estejam dentro de um elo de proteção. Nós esperávamos uma maior adesão, tanto das mulheres, quando da categoria. Conseguimos mobilizar e trazer representações de diversos setores da sociedade, no Ministério da Saúde, do MPT, psicólogos, da Secretaria de Saúde, e seria incrível se todos os trabalhadores participassem dessa discussão”, destaca Dayse.

E o papel do governo?

Fernanda Falcomer, coordenadora de prevenção e atenção a violência no SUS/DF, explicou como é o trabalho de atendimento de saúde as vítimas de violência no Distrito Federal. Já a procuradora do Ministério Público do Trabalho (MPT), Renata Coelho, debateu sobre assédio no trabalho. Durante a palestra, a procuradora apontou e ressaltou o papel do MPT no combate a todo tipo de assédio em ambientes de trabalho.

Profissionais na linha de frente

Durante todo o dia, temas como assédio no trabalho, atendimento de saúde à vítima, gênero, ativismo feminino e masculinidade saudável foram discutidos em palestras e mesas de discussão. Para a enfermeira Lindi Mendes, debates como esses são essenciais para os profissionais da saúde, principalmente por estarem na linha de frente do atendimento.

“É absurdo o número de casos de violência contra a mulher de nós – enfermeiros – nos deparamos. E muitas delas não querem denunciar. Prcebemos que existem diversas questões por trás dessa situação. Existe e medo, questões financeiras e nós somos uma porta de entrada para essas questões. Saber identificar e saber como agir nessa questões é muito importante”, completa Lindi.

A estudante de enfermagem, Lígia Maria, ressaltou a importância política, profissional e pessoal desse tipo de evento para todas as pessoas, principalmente para as profissionais de saúde. “Como cidadãs, é preciso que sejamos capazes de ter empatia pelas mulheres vítimas dos mais variados tipos de violência e, ainda, de reconhecer se nós mesmas estamos inseridas em um panorama que nos torna uma dessas vítimas”.

“A iniciativa do SindEnfermeiro de ministrar esses conhecimentos, capacitando em algum nível as profissionais que tiveram e terão acesso ao conteúdo, mostra a essencial preocupação em dar atenção à pauta não só pela sua disseminação atual, mas por suas implicações para nossas pacientes e nossas colegas. O seminário foi uma maneira de, enquanto entidade de representação, consolidar todos os pontos envolvidos: a importância de nos inteirarmos sobre o tema desde a prática profissional até o papel social, pelos quais somos responsáveis dentro da nossa categoria”, afirma Lígia.

O seminário “Violência: enfrentamento e superação” é uma das ações que o SindEnfermeiro-DF vem desenvolvendo com a categoria. A intenção é que a partir do pensamento crítico e da observação de fatos do cotidiano, a realidade dos profissionais seja transformada, refletindo também na transformação da sociedade que estamos inseridos.